porta treco

Fiz para por pentes para minha comadre 
  • usei uma lata de biscoito
  • papel vergê
  • EVA
  • fita de bico de renda vermelha
  • perolas douradas
  • papel camussa  preto 
  • cola quente


Porta-pentes 
Usei uma lata que havia aqui, colei papel vergê(pode ser qualquer papel) em volta dela, depois por cima do papel colei EVA com cola branca, só pra finalizar e ter certeza que nao iria soltar. Coloquei cola quente na última parte usei aquelas latas  de biscoito, mas da para fazer com qualquer lata ou ateá vasilha.
Depois colei fita bico de renda nas duas extremidades, por dentro colei papel seda que parece um veludo não tenho muita certeza do nome desse papel. Na parte que colei com cola quente, para fazer o acabamento colei algumas perolas.
video
Por fim, colei bolinhas douradas por cima, na borda superior da lata e pra finalizar imprimi o nome dela e invernizamos com verniz expley que tinhamos em casa, para fica melhor caso molhasse não prejudicaria o papel. Achei que ficou bem bacana e resolvi compartilhas com as amigas!

comonvivo com o meu trastorno de ansiedade

Transtorno de ansiedade na minha vida
Começarei de quando não sabia que estava doente: sempre fui muito ansiosa e para mim era normal, quando chegava perto de  meu aniversário, por exemplo, sempre ficava com febre, com muitas expectativas, de como seria aquele dia e quando não era dos melhores sempre ficava muito mal, não queria sair de casa nem brincar. Era como se o mundo tivesse acabado. Isso foi quando era criança/adolescente.
 Um outro sitona que já tinha naquela época eram palpitações. Quando algum lugar não estava me agradando, exemplos: festas que não conhecia as pessoas, apresentações na escola eram as piores, eu travava, ficava  completamente muda ou falava tão rápido que não dava para entender nada. Aquilo para mim era uma tortura .
Quando descobri que estava doente, depois do acidente da casa (para quem não sabe sobre isso, está no primeiro post ) vieram comigo um dos piores sintomas que acho até hoje, Síndrome do Panico, fiquei com medo de tudo e de todos, algo que já não era normal. Sempre fui muito tímida, mas onde moro e com meus amigos eu era bem comunicativa, de repente tudo isso mudou, tinha frequentes taquicardias, dificuldades para respirar e suava muito nas mãos.
Após, veio a ''fobia simples'' que eram os medos irracionais: achava que quando um avião passava iria cair na minha casa, que iria sofrer um acidente a qualquer momento... Para mim não tinha segurança mais nesse mundo.
Fobia social veio logo depois que eu conclui o ensino médio e estava em busca do meu primeiro emprego, quando chegava a hora da entrevista,  para mim todos estavam me olhando, me julgando, achava que eu iria falar palavras erradas. Quando conseguia falar era com voz trêmula e muito rápido. Me prejudicou bastante na área profissional.
Depois desses sintomas fui aconselhada por um médico a procurar um psicólogo, mas por ignorância e por não aceitar que tinha um problema, me recusei. Nesse meio tempo minha casa foi reconstruída e tudo aquilo que sentia ''sumiu'' achei que estava ótima e disse para minha mãe: viu que não precisava de psicólogo nenhum, eu não sou maluca.
Gente que fique claro- transtono de ansiedade não quer dizer que a pessoa está maluca- e sim que está doente. Então, se você que está lendo tem algum desses sintomas ou os da postagem anterior( ou conhece alguém que tem),  procure ajuda o mais rápido possível. Depois pode ser tarde de mais!
Passaram-se dois anos e voltou tudo de novo, só que pior e com mais sintomas.
Transtorno Obsessivo-Compulsivo-  foi a novidade para mim, verificava várias vezes se tinha fechado portas e janelas, se as luzes estavam realmente apagadas, hábitos que eu não tinha começaram a surgir, como o de falar palavrão e me irritar por nada, brigava com quase todos os meus amigos.
Distúrbio de Ansiedade Generalizada- eu passei a me preocupar mais que o normal com dividas, coisas simples do dia a dia, exemplo: na segunda-feira ficava preocupada com o almoço de domingo, começava a fazer algo e perdia a concentração, então me irritava e não terminava. Tinha ideias ótimas para investimentos, mas eram como se não tivesse forças o suficiente para fazer, me deprimia com facilidade, não tinha vontade de fazer nada, vivia cansada. Só fazia comer, dormir, assistir televisão. Nisso, engordei 40kg, antes pesava entre 45 a 50Kg , vestia 36 ou 38 e me vi  pesando 86kg .
Cheguei ao extremo de ficar com medo da minha casa, dormir dias e meses na casa de minha madrinha. Quando percebi que isso não estava afetando somente a mim resolvi procurar ajuda de um psicólogo (em 2014) mas o meu caso estava tão avançado que até melhorei, mas não foi o bastante, não fiquei curada totalmente. Em fevereiro desse ano dei uma crise depressiva tão forte que fiquei meses sem sair de casa não tinha vontade de nada engordei mais 4kg passei a  pesar 90kg e então resolvi dar um basta nisso tudo! Em maio desse mesmo ano (2016) comecei a pesquisar sobre o assunto e procurei ajuda de profissionais especializados.
Hoje já saio de casa voltei até a vida social, emagreci 18 kg estou muito mais disposta. Sei que ainda não estou curada, mas continuo fazendo terapia com psiquiatra e psicólogo. Estou a todo vapor na minha re-educação alimentar e fazendo exercícios em casa.  Com todo esforço e ajuda que eu tenho da minha família e amigos e minha grande fé em Deus a vitoria é certa!
Espero que tenha ajudado pessoas que estão precisando, com esse breve resumo da minha historia. E se vocês souberem de dicas para ajudar, comente, sempre tem alguém precisando de ajuda.
 Para vocês, beijos grandes migas e miguxos!!


Transtornos de Ansiedade

                                                         Transtornos de Ansiedade

Todos os Transtornos de Ansiedade têm como manifestação principal um alto nível de ansiedade. Ansiedade é um estado emocional de apreensão, uma expectativa de que algo ruim aconteça, acompanhado por várias reações físicas e mentais desconfortáveis.
Os principais Transtornos de Ansiedade são: Síndrome do Pânico, Fobia Específica, Fobia Social, Estresse Pós-Traumático, Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Distúrbio de Ansiedade Generalizada.
Estresse Pós Traumático:
Estado ansioso com expectativa recorrente de reviver uma experiência que tenha sido muito traumática.
Distúrbio de Ansiedade Generalizada:
Estado de ansiedade e preocupação excessiva sobre diversas coisas da vida. Este estado aparece frequentemente e se acompanha de alguns dos seguintes sintomas: irritabilidade, dificuldade em concentrar-se, inquietação, fadiga e humor deprimido.
Síndrome do Pânico: 
A Síndrome do Pânico é caracterizada pela ocorrência de freqüentes e inesperados ataques de pânico. Os ataques de pânico, ou crises, consistem em períodos de intensa ansiedade e são acompanhados de alguns sintomas específicos como taquicardia, perda do foco visual, dificuldade de respirar, sensação de irrealidade, e etc.
Fobia Simpiles
Medo irracional relacionada a um objeto ou situação específico. Na presença do estímulo fóbico a pessoa apresenta uma forte reação de ansiedade, podendo chegar a ter um ataque de pânico.
Fobia Social:
Ansiedade intensa e persistente relacionada a uma situação social. Pode aparecer ligado a situações de desempenho em público ou em situações de interação social. A pessoa pode temer, por exemplo, que os outros percebam seu “nervosismo” pelo seu tremor, suor, rubor na face, alteração da voz, etc .
Transtorno Obsessivo-Compulsivo:
Estado em que se apresentam obsessões ou compulsões repetidamente, causando grande sofrimento à pessoa. Obsessões são pensamentos, idéias ou imagens que invadem a consciência da pessoa. Há vários exemplos como dúvidas que sempre retornam (se fechou o gás, se fechou a porta, etc.), fantasias de querer fazer algo que considera errado (machucar alguém, xingar, etc.), entre vários outros.
O que é normal e o que não é normal em nossa vida mental ?
É importante notar que todos nós apresentamos alguns comportamentos “estranhos” uma vez ou outra Todos nós temos alguns medos ilógicos, algumas idéias intrusas em nossa consciência e estados de ansiedade mais intensos.
O que caracteriza um estado como patológico é quando estas situações dominam a nossa vida mental, quando o sofrimento emocional (ansiedade, desânimo, etc.) passa a ocupar o primeiro plano em nossas vidas e nos impede de viver outras experiências. Na psicopatologia, ocorre certa perda de liberdade e ficamos paralisados em modos estereotipados de funcionamento,sofrendo.
Nestas situações necessitamos de ajuda psicológica. A psicoterapia nos ajuda a sair deste estado de paralisia, ajudando a restaurar nossa capacidade de prosseguir construindo nossa vida e respondendo de modo criativo aos desafios.
essa pesquisa eu fiz na  internet feita por um psicólogo.
bibliografia
 Artur Scarpato : Psicólogo Clínico (PUC SP). Mestre em Psicologia Clínica (PUC SP). Especialista  em Psicologia Hospitalar em Reabilitação pelo Hospital das Clínicas da USP e em Cinesiologia Psicológica pelo Instituto Sedes Sapientiae. Especialista no tratamento de Transtornos de Ansiedade como Síndrome do Pânico, Fobia Social e Estresse Pós Traumático. Atende em consultório desde 1993.